Select your location
Internacional - Inglés

Conselhos para evitar infeções alimentares no verão, e prevenir a contaminação cruzada nas cozinhas

Notícias

O verão está a chegar, e com ele as altas temperaturas e os riscos de infeção alimentar. Os hábitos alimentares desta altura do ano (picnics familiares, excursões, marmitas, refeições na praia…) agravam este panorama.

O Instituto Silestone continua a fornecer conselhos práticos e sugestões para ajudar a evitar infeções de origem alimentar, e entrevistou Maite Pelayo, microbióloga e porta voz do Instituto Silestone. A entrevista, efetuada em direto via IGTV, abordou temas com infeção alimentar, as suas causas, e os riscos que enfrentamos quando consumimos um alimento.

Infeções alimentares

São doenças que podem surgir de dois fenómenos, que surgem em conjunto, ou por separado:

Intoxicações: causada pela ingestão de alimentos que contêm substâncias tóxicas (toxinas) naturalmente presentes nos alimentos, adicionadas artificialmente ou produzidas por micro organismos que se desenvolveram nos alimentos antes do seu consumo (por exemplo, botulismo).

Infeções: causada pela ingestão de alimentos ou água contaminada por micro organismos patogénicos vivos (isto é, causadores de doenças) que se desenvolvem no nosso corpo e geram uma infeção (por exemplo, salmonela).

Conselhos práticos para evitar infeções

É fundamental evitar a contaminação dos alimentos. Para isso é essencial, além da higiene, o seguinte:

  • Controlar a temperatura: evitar temperaturas intermédias (amenas), manter o clima frio (a refrigeração retarda o crescimento bacteriano, o congelamento impede-o totalmente) ou o calor (tratamentos como pasteurização ou esterilização de matérias-primas), fazer um tratamento térmico culinário adequado (acima de 70ºC), destruirá, na grande maioria dos casos, os micro organismos presentes nos alimentos.

 

  • Controlar o tempo: evitar tempos de espera entre a preparação dos alimentos e o seu consumo. Evitar o armazenamento de alimentos por períodos longos.

O que é a contaminação cruzada?

A contaminação cruzada é a transmissão de microrganismos de um alimento contaminado, normalmente cru, para outro que não estava, normalmente já cozido.

 

Como evitar a contaminação cruzada na cozinha?

  • Colocar no frigorífico os alimentos cozinhados ou prontos a consumir nas prateleiras superiores, e os alimentos crus como carne ou peixe, nas prateleiras inferiores.

 

  • Conservar os alimentos separados em recipientes devidamente fechados, que evitem possíveis contactos.

 

  • Lavar sempre as mãos antes de cozinhar e depois de manipular os alimentos.

 

  • Nunca utilizar os mesmos utensílios (garfos, facas, toalhas de cozinha…) quando se manuseiam alimentos crus ou cozinhados. Limpar equipamentos (batedeiras e outros…) quando se altera o tipo de alimento.

 

  • Limpar a fundo com detergente e água quente a tábua de corte e a bancada de cozinha.

 

  • Se um pano de cozinha ficar sujo ou manchado ao estar em contacto com um alimento cru, trocá-lo imediatamente. Uma ótima opção é utilizar papel de cozinha descartável.

 

  • Manter as suas saladas devidamente refrigeradas até ao momento do consumo.

 

  • Trabalhar na cozinha por etapas, de forma a que depois de terminar cada fase do processo, o espaço possa ser limpo antes de avançar para o seguinte.

 

  • Mantenha a sua cozinha devidamente higienizada, não só nas bancadas, como em todos os utensílios, evitando contaminações.

A entrevista completa pode ser vista em: https://www.instagram.com/tv/CCbOKFno40b/?utm_source=ig_web_copy_link


Previous article
Francisco Robles, novo Vice Presidente Global da área People da Cosentino