O Loft orgânico da designer Theresa Casey

A Trendspotter de Silestone, Theresa Casey, fez o design do loft da sua cozinha orgânica em colaboração com a Cosentino, Kohler e Benjamin Moore. A sua visão transmite um santuário urbano. Theresa combinou produtos de SilestoneKohler e Benjamin Moore, conseguindo uma fusão de influências tradicionais com influências modernas para criar um ambiente harmonioso que se conecta com a natureza através do espaço aberto com grandes janelas. Theresa utilizou cores da nova Silestone Eternal Series, Calacatta Gold e Marquina, assim como Silestone Iconic White.

O seu design acessível foi um dos pontos chave desta cozinha; Theresa integrou uma bancada movível com acesso a pessoas com deficiência e espaços amplos que possam acomodar cadeiras de rodas.

Entrevista com Theresa Casey

Os espaços exteriores e os materiais orgânicos parecem assumir um papel significativo no design da sua cozinha. Porque acredita que é importante combinar espaços exteriores com os interiores?

Penso que é importante e sempre irá ser, conectar as pessoas com a terra, especialmente em ambientes urbanos. Conecta-los, afeta positivamente a mente e obriga-nos a ver para além dos nossos mundos feitos pelos homens e relaciona-nos com as estações do ano e a passagem do tempo. Acho que nos inspira.

Acredita que pode ser um elemento da moda no design de uma cozinha?

Não, creio que sempre foi importante e que assim continuará.

Esta cozinha apresenta fortes elementos artísticos, desde lâmpadas esculturais sobre a ilha a obras de arte presentes no móvel do bar. Como é que foi feita a seleção das cores e materiais que contribuíram e complementaram todo este caráter artístico?

Ao incorporar elementos artesanais, dá-se vida aos espaços. Neste caso, os candeeiros italianos da década de 1930 transportam textura e interesse à parede. Os elementos suspensos na ilha incrivelmente moldados na perfeição com as prateleiras simétricas. As duas lâmpadas complementam as linhas que equilibram a cozinham. Estava muito animada com a nova linha Silestone Eternal. Adoro a cor Marquina, e juntei um resultado gráfico ao arco entre os dois espaços, criando uma transição particularmente interessante.

A arte é sempre um reflexo do seu produtor e aproxima-os dos espaços. Neste projeto, as obras de arte estão realizadas por eles, adquiridas ou herdadas. Creio que é bastante importante ter ao redor objetos que tenham significado no presente.

Cada elemento é importante e eu mesma decido onde colocar ênfase segundo o ambiente que está a ser criado. Neste projeto queria um ambiente que valorizasse as paixões dos clientes, e ao mesmo tempo que existisse um espaço para a contemplação. Interessa-me saber o que é importante para cada cliente, para que assim possa incorporar esses interesses nos espaços; nesta cozinha/ habitação familiar existe um espaço dedicado aos livros e à arte. Mas também existe uma atmosfera de tranquilidade e estimulo, onde se podem criar novas ideias para os seus trabalhos e onde a família se reúne. Comecei com Silestone Pearl Jasmine nas bancadas pela sua frescura, que realmente se traduz numa natureza tranquila para o espaço. O meu trabalho adapta-se as necessidades do cliente. Não tenho uma fórmula, assim crio conceitos únicos e individuais para refletir as suas vidas.

O equilíbrio e a simetria são componentes chave neste design. Conta-nos como conseguiu obter este efeito?

Efetivamente trata-se de um design muito equilibrado.  A vista central da ilha com prateleiras a equilibrar, flutuantes e abertas em cada canto da cozinha, e emoldurada com uma estampagem que combina com o jogo de luzes. Um elemento discordante, que não é simétrico, mas sim orgânico, é a colocação de obras de arte na zona do bar.  Foram colocadas intencionadamente para criar mais interesse.   Do mesmo modo, o resto dos acessórios estão presentes com esta ideia em mente.  Demasiada simetria pode apagar um espaço.

A tua escolha de cores abrange o contraste. Que conselhos pode dar aos proprietários que estão a pensar criar uma paleta de cores de contraste para as suas cozinhas?

Que se inspirem através da arte. Franz Klein é um grande exemplo. Contudo, o arco Marquina cria um contraste de tonalidade no espaço, e a bancada Pearl Jasmine complementa a cor Calacatta Gold na parede do fundo com mais subtileza.

Tem algum conselho sobre o design das cozinhas para os proprietários que estão a pensar remodelar ou construir as suas cozinhas?

Não se enganem e pensem que irão conseguir sozinhos, aconselho a contratarem um arquiteto qualificado e um designer de interiores, assim irão poupar tempo, dinheiro e stress, podendo assegurar que os vossos espaços funcionam com estilo e que vos reflita. É essencial contar com uma gestão do projeto a cargo de profissionais.

Biografia de Theresa Casey

Theresa Casey é uma das mais reconhecidas e célebres designers do Canadá. O seu galardoado trabalho para clientes internacionais tem sido descrito como “o trabalho de uma designer que não está interessada em espaços que se ‘fazem’, sem que se trabalhe as formas, proporções, texturas, e luz dentro de um equilíbrio harmonioso e emocionalmente satisfatório.” Graças à sua extensa formação na história da arte, como Belas Artes e Design (estudou em Florência, Washington e Canadá), Casey pode compreender o período, o detalhe e o estilo, o que lhe permite criar projetos desde o tradicional até ao contemporâneo. A sua visão é criar espaços arquitetonicamente autênticos que evidenciem a magnitude, a textura, a cor, e as proporções dentro do marco das necessidades do cliente.

 

© Cosentino S.A. All rights reserved

Pin It on Pinterest

Share This